Sábado, 08 de Maio de 2021 09:33
(55) 3551-1261
Dólar comercial R$ 5,23 -0.93%
Euro R$ 6,36 -0.08%
Peso Argentino R$ 0,06 -0.94%
Bitcoin R$ 324.458,42 +1.791%
Bovespa 122.038,11 pontos +1.77%
Geral Região

Região Noroeste enfrenta maior surto de chikungunya já registrado no RS

O Rio Grande do Sul está em estado de alerta em relação às doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti

16/04/2021 10h20
Por: Priscila Goulart Fonte: GZH
Foto: (Divulgação)
Foto: (Divulgação)

O município de São Nicolau, no noroeste do Estado, enfrenta o maior surto de febre chikungunya já registrado no Rio Grande do Sul. A Secretaria Estadual da Saúde confirma, em boletim epidemiológico divulgado nesta quinta-feira (15), 45 casos da doença na cidade, sendo que 30 são autóctones, quando a doença é contraída no local.

Nenhum dos pacientes desenvolveu a chikungunya de forma grave, mas, de acordo com a coordenadora do programa de arboviroses do RS, Cátia Favreto, em alguns casos, a cura da doença pode demorar. “A doença pode cronificar, e a cura leva mais tempo, pois a pessoa pode apresentar os sintomas por meses”, declarou.

A doença é caracterizada principalmente por dores articulares, mas também são sintomas febre alta, dor lombar e cefaleia. O último surto e o maior até então no Estado foi em 2018 com 11 casos autóctones em Santiago.

O Rio Grande do Sul está em estado de alerta em relação às doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Além do surto de chikungunya, são 1.444 casos confirmados de dengue, sendo 1.400 casos autóctones. Já são dois óbitos registrados nos municípios de Erechim e Santa Cruz do Sul. Dos casos autóctones, 93% aconteceram em três municípios: Aratiba, Erechim e Santa Cruz do Sul.

Notícias no WhatsApp:

Receba as notícias do Site Clic Portela no seu telefone celular! Clique aqui e faça parte do nosso grupo de WhatsApp.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias