Sexta, 28 de Janeiro de 2022
21°

Poucas nuvens

Tenente Portela - RS

Câmara dos Deputados Câmara dos Deputados

Projeto impede União de reter transferências voluntárias para planos de resíduos sólidos

O Projeto de Lei Complementar 307/16 permite a transferência voluntária de recursos para ações de financiamento de planos de resíduos sólidos mesmo...

02/12/2021 às 18h00
Por: Radar Nacional Fonte: Agência Câmara de Notícias
Compartilhe:
Bezerra: planos de coleta e tratamento dos resíduos permanecem um problema gravíssimo - (Foto: Gustavo Lima / Câmara dos Deputados)
Bezerra: planos de coleta e tratamento dos resíduos permanecem um problema gravíssimo - (Foto: Gustavo Lima / Câmara dos Deputados)

O Projeto de Lei Complementar 307/16 permite a transferência voluntária de recursos para ações de financiamento de planos de resíduos sólidos mesmo quando o ente federativo de destino (estado, Distrito Federal ou município) não esteja em dia com suas obrigações. O texto, que tramita na Câmara dos Deputados, altera a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Atualmente, a LRF prevê que a entrega voluntária de recursos correntes ou de capital a outro ente da federação, a título de cooperação, auxílio ou assistência financeira, só ocorre mediante a comprovação, pelo beneficiário, de regularidade quanto ao pagamento de tributos, empréstimos e financiamentos ao ente transferidor, e do cumprimento de limites constitucionais relativos à educação e à saúde, entre outras exigências.

A lei vigente já excetua dessa regra transferências voluntárias para ações de educação, saúde e assistência social. A proposta aprovada inclui entre as exceções também as transferências para ações de financiamento de planos de resíduos sólidos.

Autor do projeto, o deputado Carlos Bezerra (MDB-MT) argumenta que, apesar da aprovação da Política Nacional de Resíduos Sólidos, “os planos de coleta e tratamento dos resíduos sólidos permanecem um problema gravíssimo”.

"A União não pode eximir-se de sua responsabilidade no assunto, devendo transferir aos municípios os recursos necessários. Esses repasses, no entanto, têm esbarrado nas restrições impostas pela Lei de Responsabilidade Fiscal, quando o ente beneficiário não está rigorosamente em dia com suas obrigações”, sustenta.

“A regra da LRF não está punindo maus gestores municipais e sim as populações dos municípios, que têm precisado conviver com lixões cada vez maiores e mais problemáticos”, concluiu.

Tramitação
O projeto será analisado pelas comissões de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei complementar

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias