Sábado, 08 de Maio de 2021 11:00
(55) 3551-1261
Justiça Justiça

STF: Proibição de reajuste de salário para servidores até o fim do ano é constitucional

Todos os integrantes do STF seguiram o voto do relator da ação

21/03/2021 17h05 Atualizada há 2 meses
Por: Diones Roberto Becker Fonte: Brasil 61
Proibição de reajuste salarial aos servidores públicos está prevista no programa de combate ao novo coronavírus (Foto: Diones Roberto Becker)
Proibição de reajuste salarial aos servidores públicos está prevista no programa de combate ao novo coronavírus (Foto: Diones Roberto Becker)

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que a proibição de reajuste salarial aos servidores públicos prevista no programa de combate ao novo coronavírus é constitucional. Todos os integrantes da Corte seguiram o voto do relator, ministro Alexandre de Moraes. Assim, os entes da federação não podem aumentar a remuneração de funcionários públicos até 31 de dezembro deste ano.

As ações que questionavam a proibição do reajuste foram ajuizadas por partidos políticos, que argumentaram que tal mudança não deve ser prerrogativa do Congresso Nacional, mas sim do presidente da República. As regras validadas pelo STF foram aprovadas por meio da Lei Complementar nº 173/2020, que estabeleceu o Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus.

Entre outras coisas, a lei prevê a suspensão do pagamento das dívidas dos estados, Distrito Federal e municípios com a União, o repasse de auxílio financeiro federal, a autorização para renegociar dívidas contraídas junto a instituições financeiras e a proibição de aumentos para servidores até o fim deste ano, entre outras alterações.

Notícias no WhatsApp:

Receba as notícias do Site Clic Portela no seu telefone celular? Clique aqui e faça parte do nosso grupo de WhatsApp.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Ele1 - Criar site de notícias