OUÇA 100,7 AO VIVO
Sexta, 25 de setembro de 2020
55 3551 1200 I Jornal - 55 3551 1121 I CNPJ: 03.043.551/0001-20
Geral

05/08/2020 ás 16h44 - atualizada em 05/08/2020 ás 16h46

Diones Roberto Becker

Tenente Portela / RS

IBGE aponta que 411 mil firmas reduziram empregados na segunda quinzena de junho
Dados são da pesquisa com estatísticas experimentais do IBGE
IBGE aponta que 411 mil firmas reduziram empregados na segunda quinzena de junho
De acordo com o levantamento, uma fatia de 14,8% indicou demissões e 6,3% aumentaram o número de empregados (Foto: Diones Roberto Becker)

Na segunda quinzena de junho, 411 mil empresas reduziram a quantidade de empregados em relação à primeira quinzena do mesmo mês, sendo que, 61,8% diminuíram em até 25% o quadro de pessoal. Os dados são da Pesquisa Pulso Empresa: Impacto do Covid-19 nas Empresas, que integram as Estatísticas Experimentais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


A maioria das empresas em funcionamento (78,6%), o equivalente a 2,2 milhões de companhias, manteve o número de funcionários na segunda quinzena de junho em relação à quinzena anterior. Uma fatia de 14,8% indicou demissões e 6,3% aumentaram o número de empregados.


Na segunda quinzena de junho, 46,3% das empresas em funcionamento não tiveram alteração significativa na sua capacidade de fabricar produtos ou atender clientes, mas 43,1% relataram dificuldades, enquanto 10% registraram facilidades.


Quanto ao acesso aos fornecedores, 50,9% não perceberam alteração significativa, mas 40,9% tiveram dificuldades. Mais da metade (52,9%) das empresas em funcionamento reportaram dificuldades em realizar pagamentos de rotina na segunda quinzena de junho, enquanto 40,6% consideraram que não houve alteração expressiva.


— Se a gente fizer um ranking de impactos, a gente percebe que dois se sobressaem: impacto sobre as vendas, mas tem também o impacto na capacidade de realizar pagamentos de rotina. O impacto nas vendas era esperado, porque é mais flexível pelo lado da demanda. Mas isso começa a contaminar a cadeia de pagamento — observou Alessandro Pinheiro, coordenador de Pesquisas Estruturais e Especiais em Empresas do IBGE.


Entre as ações adotadas para atenuar os efeitos da pandemia do coronavírus (Covid-19) nos negócios, 86,1% das empresas em funcionamento declararam ter implementado ações de prevenção e manutenção de medidas extras de higiene.


Entre as empresas em funcionamento, 42,5% mantiveram funcionários em trabalho domiciliar (teletrabalho, trabalho remoto e trabalho à distância), e 28% anteciparam férias dos empregados.


Uma fatia de 33,5% das empresas declarou ter alterado o método de entrega de seus produtos ou serviços, enquanto 13,5% lançaram ou passaram a comercializar novos produtos ou serviços na segunda quinzena de junho.


Entre as companhias em atividade, 43,9% adiaram o pagamento de impostos e 12,4% conseguiram uma linha de crédito emergencial para o pagamento da folha salarial.


— A gente não está contando se ela tomou a medida pela primeira vez, mas a continuidade de algumas medidas — Alessandro Pinheiro.


Na segunda quinzena de junho, 39,2% das empresas afirmaram que foram apoiadas pela autoridade governamental na adoção de medidas emergenciais contra a pandemia. Essa percepção de apoio dos governos foi mais elevada entre as companhias que adiaram o pagamento de impostos (70,4%) e entre as que conseguiram linhas de crédito para o pagamento da folha salarial (76,4%).


Notícias no WhatsApp:


Receba as notícias do Site Clic Portela no seu telefone celular? Clique aqui e faça parte do nosso grupo de WhatsApp.

FONTE: Correio do Povo

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2020 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium