OUÇA 100,7 AO VIVO
Sábado, 11 de julho de 2020
55 3551 1200 I Jornal - 55 3551 1121 I CNPJ: 03.043.551/0001-20
Polícia l Trânsito

01/06/2020 ás 17h15 - atualizada em 01/06/2020 ás 18h27

Diones Roberto Becker

Tenente Portela / RS

Caso Rafael: Polícia Civil analisa pontos divergentes entre depoimentos de irmão e mãe
Adolescente de 17 anos passou pela escuta especializada na sexta-feira (29/05)
Caso Rafael: Polícia Civil analisa pontos divergentes entre depoimentos de irmão e mãe
Corpo de Rafael Mateus Winques, de 11 anos, foi encontrado na tarde da segunda-feira (25/05) (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)

Após ouvir o irmão de Rafael Mateus Winques, a Polícia Civil agora está comparando a versão apresentada pela mãe Alexandra Dougokenski com a do filho de 17 anos. A mulher confessou na segunda-feira (15/05) ter matado o menino de 11 anos e escondido o corpo, mas alega que não teve a intenção e que a morte aconteceu por ingestão de medicamentos.


O adolescente afirmou na escuta, realizada na sexta-feira (29/05), que estava dormindo, mas alguns pontos apresentam divergência com o relato da mãe, segundo a investigação. O relatório da escuta especializada foi recebido na segunda-feira (01/06).


O delegado Ercílio Carletti, que conduz a investigação da morte, confirmou que neste momento os policiais estão comparando o relatório da escuta com a confissão da mulher. O delegado ressaltou que há pontos divergentes nos relatos, mas evitou dar detalhes.


– Existem intercorrências, pontos divergentes, que estão sendo analisados. É um material muito extenso, que ainda estamos verificando. O profissional que fez a escuta faz esse relatório, que chegou para nós há pouco – disse Ercílio Carletti.


Alexandra Dougokenski foi ouvida novamente no sábado (30/05) em Porto Alegre, no Palácio da Polícia. Por cerca de sete horas, ela detalhou como, em sua versão, aconteceu o homicídio. A mãe diz que o garoto estava agitado e não queria dormir. E que, por isso, deu a ele dois comprimidos de Diazepam, que teriam provocado a morte. A perícia inicial apontou, no entanto, que o menino foi morto por estrangulamento.


– Existem contradições entre as versões apresentadas que foram abordadas no interrogatório, mas ainda não foram esclarecidas, por isso não posso detalhar ainda – disse o delegado Eibert Moreira Neto, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que também participa da investigação em Planalto desde a semana passada.


O diretor do Departamento de Polícia do Interior (DPI), delegado Joerberth Nunes, relatou que o adolescente confirmou que estava dormindo na noite do crime. Alexandra Dougokenski relata que o filho de 17 anos não presenciou nada e que ela sozinha retirou o corpo de Rafael de dentro da casa. O cadáver foi localizado dez dias depois, dentro de uma caixa de papelão, na garagem da moradia vizinha.


– Ele só ratificou o que já havia dito. Que estava dormindo e não viu nada. Só ouviu alguns barulhos. Não sabe nada do fato. Mas estamos cruzando com o outro depoimento – afirmou o delegado Joerberth Nunes.


A escuta especializada do adolescente foi realizada por uma policial de Passo Fundo, que possui treinamento, por se tratar de um menor de 18 anos. O procedimento ocorreu em uma sala da Delegacia da Polícia Civil de Planalto, adaptada para isso. Após ser ouvido, o jovem foi levado pelo Conselho Tutelar de volta para a casa de familiares, onde permanece em outro município.


– Esse procedimento especial tem como objetivo não revitimizar o adolescente, que já passou por uma situação traumática. Por isso, tentamos manter sigilo – afirma o delegado Ercílio Carletti.


A Polícia Civil ainda pedirá a reconstituição do crime, tecnicamente chamada de reprodução simulada dos fatos. Esse pedido, no entanto, somente será realizado após o recebimento dos laudos das outras perícias solicitadas.


Notícias no WhatsApp:


Receba as notícias do Site Clic Portela no seu telefone celular? Clique aqui e faça parte do nosso grupo de WhatsApp.

FONTE: Gaúcha ZH

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2020 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium