OUÇA 100,7 AO VIVO
Terça, 29 de setembro de 2020
55 3551 1200 I Jornal - 55 3551 1121 I CNPJ: 03.043.551/0001-20
Cidades

30/04/2020 ás 17h09 - atualizada em 30/04/2020 ás 17h21

Jonas Martins

Tenente Portela / RS

Qualidade dos Movimentos do Corpo Humano
Coluna do educador físico Robinson Giraldi - Zaca
Qualidade dos Movimentos do Corpo Humano
Sem mobilidade não existe movimento funcional (Foto: Reprodução)

Quando nascemos estamos cheio de vida, de MOVIMENTO e de flexibilidade. Com o passar dos anos vamos perdendo essa flexibilidade e têm início os processos que quebram esse equilíbrio corporal. Quando o MOVIMENTO é impedido de acontecer por qualquer motivo no nosso corpo, aparecem as doenças.


Pensando no micro, quando a insulina não consegue dar conta de carregar açúcar, surge a diabetes, quando as paredes das artérias estão rígidas, aumenta-se a pressão arterial; quando o intestino é ‘preguiçoso’ temos a constipação; quando as articulações não deslizam da maneira como devem por falta de MOVIMENTO, surgem as artroses, tendinites, bursites; quando um músculo está encurtado surgem os desvios posturais.


Pensando no macro também podemos observar como a falta de MOVIMENTO pode representar a doença: em algumas delas, como sequelas de AVC, artroses, bursites, hérnias de disco, paraplegias e paralisias, por exemplo, a falta de MOVIMENTO é algo em comum entre elas que nos chama a atenção.


O exagero de MOVIMENTO (energia) também pode ser prejudicial. Um músculo que se alonga demais pode romper, o coração que bate muito rápido (taquicardia) pode estar desequilibrado, um disco intervertebral da coluna que se move muito tende a gerar uma hérnia de disco. Então muitas vezes a doença é um aviso do corpo sobre a falta ou exagero dos MOVIMENTOS naturais que o compõem.


Um corpo que sofre com o desequilíbrio de MOVIMENTO pode sair da linha e perder a homeostase. Ideal seria sempre seguirmos as dicas de saúde já conhecidas porque elas fazem com que nosso corpo consiga regular os MOVIMENTOS ‘micro e macro’, deixando-o o mais ‘neutro’ possível, e assim, tornando-nos menos propensos ao aparecimento de doenças.


Para qualificar MOVIMENTO (exercício físico) devemos desenvolver a harmonia entre a estabilidade e a mobilidade nas articulações para qualificar MOVIMENTO.


Desenvolver a estabilidade é importante para a sustentação corporal, minimizando compensações musculares, e para a segurança das articulações, ligamentos e tendões.


Já a mobilidade é fundamental para o desenvolvimento das amplitudes de movimento, para a construção do movimento integrado e para uma boa distribuição de cargas durante as posturas corporais.


Sem mobilidade não existe movimento funcional. De nada adianta seu aluno fortalecer diversas regiões do corpo e garantir a estabilidade se ele tiver um corpo rígido (e com certeza muitos têm).


Pense mais em qualificar MOVIMENTO (integrado), desenvolvendo mobilidade, estabilidade em seguida MOVIMENTO, que desenvolver músculos (esses são uma consequência do MOVIMENTAR-SE)!


Notícias no WhatsApp:


Quer receber as notícias do Site Clic Portela no seu telefone celular? Clique aqui e faça parte do nosso grupo de WhatsApp.

FONTE: Jornal Província

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Coluna do Zaca

Coluna do Zaca

Blog/coluna Informações sobre atividades físicas e a melhor maneira de levar uma vida saudável
Facebook
© Copyright 2020 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium