OUÇA 100,7 AO VIVO
domingo, 29 de março de 2020
55 3551 1200 I Jornal - 55 3551 1121 I CNPJ: 03.043.551/0001-20
Geral

19/03/2020 ás 11h44 - atualizada em 19/03/2020 ás 12h21

Eduardo Sarvadori

Tenente Portela / RS

Governo proíbe transporte interestadual e determina limite de compra de itens essenciais
Governo do RS decreta situação de calamidade pública pela primeira vez na história
Governo proíbe transporte interestadual e determina limite de compra de itens essenciais
Governador determinou que transporte intermunicipal atuará com até 50% da capacidade dos ônibus (Foto: Diones Roberto Becker)

O governador Eduardo Leite declarou nesta quinta-feira, pela primeira vez na história do Rio Grande do Sul, situação de calamidade pública, numa tentativa de conter a disseminação de Covid-19 no Estado, que já apresenta trasmissão local do patógeno causador da doença.


Em uma coletiva virtual, o chefe do Executivo gaúcho notificou sobre medidas de contenção ao vírus SARS-Cov-2, que já infectou 28 pessoas no RS, conforme dados oficiais da Secretaria Estadual da Saúde. "É séria a situação, é grave. É hora de atuarmos. Não há espaço para valentões acharem que são imunes. Isso é irresponsabilidade", frisou. "Vai dar saudade do abraço, do carinho, mas vai dar saudade das pessoas que perderemos se não agirmos", falou.


Leite anunciou que o transporte interestadual está vedado e o intermunicipal atuará com até 50% da capacidade dos ônibus. Nos coletivos urbanos, fica proibido o transporte de pessoas em pé. O tucano afirmou que as atividades nos terminais aéreos continuam, mas afimou que estuda o fechamento dos aeroportos do interior do Estado, concentrando voos no Salgado Filho, em Porto Alegre. Ele lembrou que muitas companhias aéreas já reduziram as saídes e chegadas à cidade. O governador considerou ainda que "o mundo está parando" e pontuou que solicita junto ao governo federal o fechamento das fronteiras com o Uruguai e a Argentina. "Autoridade é da União e pedimos as mesmas providências dos nossos vizinhos", afirmou. 


Regras para o comércio:


Ao comércio, itens essenciais ficam restringidos a um determinado número por consumidor e ficou determinado a não-alteração de preços, evitando valores abusivos. "Não há no decreto uma definição de número, mas cada estabelecimento deve adotar o seu. Alguns já fazem voluntariamente", pontuou. Pessoas em situação de risco terão horários específicos para compras. "Nos shoppings, fechamento de todos os estabelecimentos não essenciais. Restaurantes, farmácias e bancos poderão funcionar", disse, explicando que deverão manter distância mínima de dois metros. 


O decreto dá poder à Secretaria da Saúde de fazer requisição de bens e serviços ao setor médico o tanto quanto for necessário para combater o novo coronavírus e formaliza o de gabinete de crise. No âmbito adminisitrativo, ocorre a supensão de prazos adminstrativos de processos e alvarás. Também fica definido um comitê de crise para a área econômica, para que sejam trabalhadas ações de impacto na área, para amenizar os impactos. Outro comitê será na área da saúde, reunindo profissionais e acadêmicos para que seja possível "compreender a evolução dessa doença". Também haverá um de comunicação e de ações digitais, com serviços que poderão ser oferecidos digitalmente.


 Leite lembrou que há "uma média de até sete dias do contágio até a confirmação", apontando o delay de informações, em recado especial aos moradores das cidades do interior, que ainda não teriam mudado os hábitos e praticado o isolamento social. "Você pode ser ser portador do vírus, mas não saber porque é assintomático", defendeu, se referindo a todos os gaúchos.

FONTE: Correio do Povo

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2020 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium