OUÇA 100,7 AO VIVO
Quarta, 08 de abril de 2020
55 3551 1200 I Jornal - 55 3551 1121 I CNPJ: 03.043.551/0001-20
Geral

27/11/2019 ás 10h53 - atualizada em 27/11/2019 ás 10h58

Eduardo Sarvadori

Tenente Portela / RS

Diocese pede "comunicação formal" para investigar curas e bênçãos ao orar para Bernardo
Cônego diz que Santa Sé será notificada das peregrinações em nome do menino
Diocese pede
O processo para o reconhecimento por parte da Igreja é longo, mas pode começar assim que houver uma comunicação formal dos casos. - Foto: Zero Hora

A Diocese de Frederico Westphalen já está atenta a notícias de curas e outras bênçãos atribuídas a Bernardo Uglione Boldrini, assim como a de peregrinações ao túmulo do menino, em Santa Maria.


O processo para o reconhecimento por parte da Igreja é longo, mas pode começar assim que houver uma comunicação formal dos casos.


— Precisamos que os relatos cheguem até nós. O bispo (de Frederico Westphalen, Dom Antonio Carlos Rossi Keller) fará uma notificação à Congregação para as Causas dos Santos, no Vaticano, e poderá haver a autorização para que Bernardo seja considerado servo de Deus, com oração difundida em nome dele. Mas tudo com aprovação eclesiástica — explicou o cônego Carlos Alberto Pereira da Silva, chanceler do bispado da diocese de Frederico Westphalen.


Conforme o cônego, há três requisitos para que uma pessoa se torne candidata ao reconhecimento de santidade: fama de santidade, exercício das virtudes cristãs em grau heroico e ausência de obstáculos insuperáveis contra a canonização. Uma análise inicial indica que Bernardo preencheria as três exigências.


— A fama de santidade se dá pela comprovação de que era uma pessoa de bem, que buscava fazer o bem, não fazia o mal. O exercício das virtudes cristãs em grau heroico é como suportar sofrimento com alegria, e isso o Bernardo tinha. Estava sempre feliz, alto astral. Foi uma surpresa para mim saber depois o que ele sofria. E a ausência de obstáculos para a canonização também parece estar ok — explicou o chanceler.


Superados esses requisitos, é então aberta uma investigação prévia por parte do bispo de Frederico Westphalen e é nomeado um postulador na Santa Sé, no Vaticano, uma espécie de relator do procedimento. Ao final da apuração prévia, se tudo estiver a contento, o bispo declara um "nada consta" contra a beatificação e então segue o processo de investigações e outros trâmites até um eventual reconhecimento dele como beato ou santo.


— Importante destacar que a Santa Sé faz declarações de santo para o bem da Igreja e não para criar confusão na Igreja. Então, não pode haver cultos exagerados sem permissão, distribuição de orações. Isso pode prejudicar o processo. As pessoas não sabem disso, fazem com boa intenção, mas o pároco local pode dar todas as instruções — ressalta  o cônego.

FONTE: Zero Hora

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2020 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium