OUÇA 100,7 AO VIVO
Quarta, 19 de junho de 2019
55 3551 1200 I Jornal - 55 3551 1121 I CNPJ: 03.043.551/0001-20
Cidades

27/04/2019 ás 18h36 - atualizada em 29/04/2019 ás 14h10

Diones Roberto Becker

Tenente Portela / RS

Irmãos são condenados por matar e concretar corpo de jovem de 22 anos em Horizontina
Jaciele Daiane Silva dos Santos, de 22 anos, foi morta em outubro de 2015
Irmãos são condenados por matar e concretar corpo de jovem de 22 anos em Horizontina
Julgamento dos dois réus ocorreu na Câmara de Vereadores de Horizontina (Foto: Gabriel Mafra/TJ-RS)

O Tribunal do Júri de Horizontina considerou culpados os irmãos Alan Diego Heissler e Luís Felipe Heissler, pela morte de Jaciele Daiane Silva dos Santos, de 22 anos. O julgamento ocorreu na Câmara de Vereadores do município e foi finalizado na noite desta sexta-feira (26).


Para Alan, ex-companheiro da vítima, foi fixada a pena de 22 anos e seis meses de reclusão em regime inicial fechado. Foi condenado por homicídio qualificado por motivo torpe, mediante simulação e feminicídio, além de ocultação de cadáver. O magistrado decretou a manutenção da prisão do réu.


O irmão, Luís Felipe, respondeu pelo crime de ocultação de cadáver e a pena foi estabelecida em dois anos, seis meses e dez dias de reclusão. A pena foi substituída por Prestação de Serviços à Comunidade e prestação pecuniária no valor de dois salários mínimos.


O caso:


Os irmãos foram acusados da morte de Jaciele Daiane Silva dos Santos. Segundo a denúncia do Ministério Público, a vítima e o acusado Alan Heissler conviveram em união estável por cinco anos e estavam separados há mais de um ano, quando foram deferidas medidas protetivas em favor da jovem.


Na data do homicídio, em 05 de outubro de 2015, a mulher foi atraída por Alan até a casa dele com a promessa de receber um notebook. A denúncia apontou que os irmãos planejaram o assassinato, pois Jaciele se negava a reatar o relacionamento. A acusação é de que eles a mataram com um tiro na cabeça, cortaram os membros superiores e inferiores, queimaram o corpo e concretaram os restos mortais em uma churrasqueira. Os policiais só descobriram o que houve 18 dias depois, em uma vistoria na casa.

FONTE: TJ-RS

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium