OUÇA 100,7 AO VIVO
Segunda, 22 de abril de 2019
55 3551 1200 I Jornal - 55 3551 1121
Cidades

15/04/2019 ás 12h38 - atualizada em 19/04/2019 ás 17h39

Diones Roberto Becker

Tenente Portela / RS

Acendimento e Distribuição da Chama Crioula vai atrair cavalarianos a Tenente Portela
Cerimônia marca oficialmente o início dos festejos farroupilhas no estado
Acendimento e Distribuição da Chama Crioula vai atrair cavalarianos a Tenente Portela
Reunião que tratou sobre detalhes da organização do evento que ocorrerá em agosto (Foto: Divulgação/ASCOM Tenente Portela)

Um dos momentos mais importantes da cultura do Rio Grande do Sul acontecerá em Tenente Portela neste ano. A Geração e Distribuição da Chama Crioula, que alcança sua 72ª edição em 2019, serão realizadas nos dias 16 e 17 de agosto.


O acendimento da Chama Crioula marca oficialmente o início dos festejos farroupilhas no estado, que seguem até o dia 20 de setembro. O ritual é repetido todos os anos, desde 1947.


Detalhes da organização do evento foram debatidos em um encontro na prefeitura de Tenente Portela, no começo deste mês, que reuniu o prefeito Clairton Carboni e o presidente da Ordem dos Cavaleiros do Rio Grande do Sul (ORCAV), Verceli de Oliveira, que também representa o Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG). O presidente da comissão organizadora do evento no município, Régis Carniel, e o coordenador da 20ª Região Tradicionalista, Army João Voos Júnior, também participaram da reunião.


Verceli de Oliveira visitou diversos pontos da cidade. O objetivo é escolher o melhor lugar para a Geração e Distribuição da Chama Crioula, além de definir as acomodações para as centenas de cavalarianos que virão a Tenente Portela buscar a chama crioula e prestigiar a abertura dos festejos farroupilhas de 2019.


História da Chama Crioula:


No ano de 1947 foi criado em Porto Alegre, no Colégio Júlio de Castilhos, um Departamento de Tradições Gaúchas, com o objetivo de resgatar, preservar e proporcionar a revitalização das coisas tradicionais do Rio Grande do Sul, através da história gaúcha.


Naquele momento, um grupo de jovens do colégio manifestou o desejo de fazer, a cavalo, o acompanhamento dos restos mortais do General Farroupilha, David Canabarro, que era transladado ao Panteão Rio-grandense no cemitério da Santa Casa de Misericórdia.


O ato ocorreu em 05 de setembro, com oito jovens a cavalo. Dois dias depois, três daqueles jovens (Paixão Cortes, Cyro Ferreira e Fernando Vieira), também a cavalo, retiraram uma centelha do Fogo Simbólico da Pátria, a meia noite do dia 07 de setembro, acendendo o candeeiro crioulo que foi guardado no Colégio Júlio de Castilhos, dando origem à Chama Crioula, que simboliza o apego do gaúcho à sua terra, o seu nativismo e seu telurismo.


A Chama Crioula traz em si o reconhecimento pela história e pela trajetória social do gaúcho. Desde então, o Acendimento e Distribuição da Chama Crioula se repete anualmente.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium