OUÇA 100,7 AO VIVO
Terça, 25 de junho de 2019
55 3551 1200 I Jornal - 55 3551 1121 I CNPJ: 03.043.551/0001-20
Geral

11/04/2019 ás 13h31 - atualizada em 11/04/2019 ás 13h33

Diones Roberto Becker

Tenente Portela / RS

Campanha de vacinação contra febre aftosa ocorrerá em maio
Previsão é imunizar cerca de 12,5 milhões de animais, entre bovinos e búfalos
Campanha de vacinação contra febre aftosa ocorrerá em maio
Produtores deverão comprovar a vacinação nos escritórios ou inspetorias de Defesa Agropecuária (Foto: Diones Roberto Becker)

A primeira etapa da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa no Rio Grande do Sul será realizada no mês de maio, conforme programação da secretaria estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEAPDR).


Deverão ser imunizados todos os bovinos e búfalos, totalizando cerca de 12,5 milhões de animais. A estimativa é de que 300 mil propriedades estarão envolvidas no processo. A meta é atingir uma cobertura vacinal superior a 90%.


Em 2018, ambas as etapas (maio e novembro) superaram 97% de cobertura. Este ano, haverá redução na dosagem de aplicação de cinco para dois mililitros. – Estamos iniciando o processo de divulgação do calendário para que nossos produtores se programem para vacinar o rebanho e garantir que nosso estado fique livre desta grave doença – afirmou o secretário Covatti Filho.


Conforme o departamento de Defesa Agropecuária da SEAPDR, em 2019, a vacina contra a febre aftosa sofreu alterações na sua formulação, com redução na dosagem de aplicação de cinco para dois mililitros. A vacina passou a ser bivalente, permanecendo a proteção contra os vírus tipo A e O (removido o tipo C) e as apresentações comercializadas agora serão de 15 e 50 doses. A composição do produto também foi modificada para diminuir as reações vacinais (nódulos).


Os produtores devem comprar as doses necessárias para a vacinação de seu rebanho em casas agropecuárias credenciadas pela SEAPDR. Em seguida, deverão comprovar a vacinação através da apresentação da nota fiscal de compra e declaração do quantitativo de animais vacinados, nas inspetorias ou escritórios de Defesa Agropecuária. O prazo máximo para a comprovação da vacinação é de cinco dias úteis após o término da etapa.


Aqueles que não comprovarem a vacinação serão autuados, conforme determinação do Decreto Estadual nº 52.434/2015, e terão sua propriedade interditada até a regularização dos procedimentos.


A doença:


A febre aftosa é uma doença viral, altamente contagiosa e de rápida disseminação, com impactos econômicos e sociais. Os últimos focos da doença no estado ocorreram em 2000 e 2001, e acarretaram graves prejuízos econômicos, como o sacrifício e abate sanitário de aproximadamente 29 mil animais e gastos de U$$ 25 milhões em custos diretos, além de perdas econômicas geradas pelo impedimento do comércio nacional e internacional de produtos de origem animal e vegetal.

FONTE: SECOM-RS

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium