OUÇA 100,7 AO VIVO
Sexta, 26 de abril de 2019
55 3551 1200 I Jornal - 55 3551 1121
Cidades

08/02/2019 ás 10h34 - atualizada em 09/02/2019 ás 22h24

Jonas Martins

Tenente Portela / RS

Produtor de leite perde produção após queda de ponte
“Vou ter que vender as vacas porque não consigo vender o leite”
Produtor de leite perde produção após queda de ponte
Seu Laudelino Netzolt, 65 anos, morador do Burro Magro, interior de Tenente Portela (Foto: Jonas Martins)

Seu Laudelino Netzolt, 65 anos, morador do Burro Magro, interior de Tenente Portela, vive um verdadeiro drama desde que uma ponte caiu durante a travessia de um caminhão carregado com um maquinário naquela localidade.


O agricultor depende da travessia para manter a subsistência de sua família através da produção leiteira, que lhe é garantida por nove vacas de leite que ele comprou, parte da compra da qual ainda deve, para trabalhar nos poucos hectares de terra que ele financiou através do banco da terra.


Aposentado, o agricultor que mora com a esposa e com um filho, não conseguia manter a casa apenas com o valor da aposentadoria, primeiro porque apresenta alguns problemas de saúde e com isso acaba tendo que gastar parte do salário minímo recebido para a compra de medicamentos, sem contar, que é sempre recomendável ter sempre uma pequena reserva já que várias vezes por ano precisa ser internado.


As nove vacas, essencialmente cuidadas pelo filho e pela esposa, já que não pode fazer força e precisa cuidar da saúde, passaram a garantir uma boa renda extra para a família, tanto que no último ciclo, conseguiram financiar um carro, simples, mas que já lhe tira a obrigação, de quanto necessário, ter que chamar um vizinho e pagar para esse lhe levar até a cidade onde precisa consultar ou ser internado, às vezes as pressas. A prestação não é alta, mas compromete um valor significativo da aposentadoria, sendo descontada diretamente na folha de pagamento do seu benefício. Tudo estava dentro do orçamento até o incidente da ponte, ocorrido em um sábado no dia 05 de janeiro deste ano.


Seu Laudelino entregava a sua produção para uma empresa da cidade de Três Passos, que fazia uso da ponte para chegar até a propriedade, com a queda da mesma não foi mais possível fazer essa travessia e se tornou inviável para aquela empresa buscar a produção.


A família procurou outras empresas, mas não conseguiu obter sucesso em fechar uma nova parceria. As empresas de Tenente Portela que poderiam chegar por outras vias apresentam três justificativas diferentes para não fazer o recolhimento: O primeiro é que pela produção ser baixa não compensa a busca, a segunda é que o leite não apresenta a qualidade necessária para o recolhimento e a terceira é que as condições das estradas na via alternativa são muito ruim e não tem como um caminhão se deslocar até a propriedade.


Desde que a ponte a caiu a mais de um mês, o agricultor tem procurado a administração municipal de Tenente Portela para buscar uma solução para o seu problema. O mais indicado seria a construção de uma nova ponte que possibilitaria ele vender para a mesma empresa com quem já vinha negociando, a segunda arrumar a outra via de acesso para possibilitar a negociação com outra empresa. “Eu fui quase todos os dias lá na prefeitura, falei com o Valdir (Prefeito em exercício), mas eles sempre dizem que vão arrumar, mas não arrumam nada.” – Conta o agricultor em tom de desabafo.


Já com um mês sem entregar a produção e tendo que colocar o leite fora, a família já pensa em vender as vacas, pelo menos para tentar se manter por algum tempo. – “Estou quase tendo que colocar minhas vaquinhas fora, querem me dar R$ 11 mil pelas 9 vacas, vou ter que vender, não tenho alternativa.” – Lamenta o idoso, que ainda justifica que sem os ganhos do mês anterior não sabe como vai conseguir manter a subsistência da família.


Não tendo conseguido uma resposta satisfatória junto ao poder executivo, o agricultor procurou o poder legislativo e nesta quinta-feira conversou com a presidente da Câmara de Vereadores, Rosângela Fornari, MDB. Nossa reportagem conversou com a vereadora que disse que a prefeitura justificou que inicialmente iria abrir uma licitação para construção de uma nova ponte, no entanto, segundo a vereadora, a administração mudou de ideia e agora planeja a construção de uma ponte de madeira.


A vereadora disse ainda que vai cobrar da administração uma pronta resposta para tentar resolver o problema do agricultor, ela também nos disse que entrou em contato com algumas empresas e que está conversando com essas a respeito do assunto e que vai buscar junto aos órgãos competentes, como SINTRAF,  um acompanhamento técnico com a intenção propiciar uma malhora na qualidade e na produção na propriedade de seu Laudelino.


Neste momento, a preocupação da família é muito mais imediata, afinal, como faz um mês que não consegue entregar a produção, e vai ficar sem a única renda além do salário mínimo da aposentaria, será de como pagará as contas do mês. “Vamos comer de que jeito sem dinheiro?” – Questiona o produtor que ainda não tem uma resposta para a sua pergunta.


Em reportagem recente do Jornal Província visitamos algumas pontes no interior de Tenente Portela e constatamos que o problema pode se repetir em outros locais, uma vez que diversas pontes e pontilhões apresentam visíveis desgastes causados pelo tempo e pela falta de manutenção.


 

FONTE: Jornal Província

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2019 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium