OUÇA 100,7 AO VIVO
Quarta, 18 de julho de 2018
55 9 9137-5869
Geral

10/07/2018 ás 22h55 - atualizada em 10/07/2018 ás 23h01

Diones Roberto Becker

Tenente Portela / RS

Orçamento estadual prevê déficit de R$ 6,8 bilhões no próximo ano
Há previsão de R$ 49,9 bilhões em receitas e R$ 56,7 bilhões em despesas
Orçamento estadual prevê déficit de R$ 6,8 bilhões no próximo ano
Projeto que trata das diretrizes para a elaboração da lei orçamentária para 2019 foi aprovado nesta terça-feira (Foto: Leandro Osório/Palácio Piratini)

Com 34 votos favoráveis, a Assembleia Legislativa aprovou nesta terça-feira (10) o projeto encaminhado pelo Poder Executivo que trata das diretrizes para a elaboração da lei orçamentária para o próximo ano. A proposta, apresentada por meio da secretaria estadual de Planejamento, Governança e Gestão (SPGG), foi elaborada entre os chefes de todos os poderes, com as bases para organização do orçamento.


Para o ano que vem, há previsão de R$ 49,9 bilhões em receitas e R$ 56,7 bilhões em despesas. Assim, o documento reitera a necessidade de manutenção dos ajustes das contas públicas e, conforme a SPGG, contempla a adesão do Rio Grande do Sul ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF). O texto prevê 3% de correção para as despesas com pessoal e encargos sociais e os mesmos patamares atuais para as demais despesas correntes e investimentos.


Os principais pontos da LDO 2019 incluem a previsão de alteração do resultado primário em função do Regime de Recuperação Fiscal, a adequação dos dispositivos referentes à previdência pública às novas legislações aprovadas no final do ano passado e a organização do orçamento da Segurança Pública com a discriminação dos gastos previdenciários, a exemplo do que já ocorre na Educação e na Saúde. A lei também prevê os parâmetros macroeconômicos utilizados nas metas fiscais da união, com previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para 2019 de 3% e inflação de 4,2%.


A Lei de Diretrizes Orçamentárias é um instrumento constitucional e legal que serve de base para a construção do orçamento do ano seguinte. Dispõe sobre as alterações na legislação tributária, sobre a política de pessoal e sobre a aplicação das agências financeiras oficiais de fomento. Além disso, orienta a elaboração do orçamento, estabelecendo metas e limites que vão balizar esse instrumento de planejamento. Pela Constituição do Estado, a LDO deve ser votada e devolvida ao Poder Executivo até o dia 15 de julho.

FONTE: ASCOM/SPGG

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários
Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium